Translate

sábado, 1 de junho de 2013

Viagem: Um pedaçinho do Tibet no Sul do País

Oi gente!

Hoje vamos falar de um dos lugares mais surpreendentes que conheci no Rio Grande do Sul: o centro budista Khadro Ling, em Três Coroas.

A construção é recente, data da década de 90. Mas o templo representa uma prática milenar. O centro budista recebe milhares de visitantes de todo Brasil, não só praticantes como, também, aqueles que desejam conhecer um pouquinho sobre o budismo. Além disso, o local onde está localizado o templo é lindo, rodeado de natureza, onde o silêncio só é interrompido pelo barulho do vento, que balança as bandeiras de orações tibetanas, emanando paz e boas vibrações. 
Meu esposo me convidou para o passeio e, confesso, que na hora fiquei em dúvida se seria bacana, mas o que eu não sabia é que essa construção faz parte de um complexo muito maior do que eu imaginava. O Khadro Ling é, na verdade, um centro budista que também conta com vários outros monumentos em estilo arquitetônico tibetano. Uma comunidade de praticantes mora no local e em suas terras fica o primeiro templo tibetano tradicional da América Latina dedicado ao ensino e à prática do budismo.

Logo depois que estacionamos o carro, fomos instruídos a seguir para a recepção a fim de assistirmos ao vídeo institucional que narra a história do guru Rinpoche e da construção do templo, além de explicar alguns fundamentos básicos do budismo.

O budismo prega que trazemos em nós uma fonte inesgotável de compaixão e sabedoria, mas a encobrimos com medos, frustrações e atitudes negativas. Para entrar em contato com nossa essência e alcançar a paz interior, devemos cultivar atitudes positivas como generosidade e disciplina.

O templo abriga sessões diárias de meditação, retiros e ensinamentos. Começamos a visita por esse edifício e, em respeito às pessoas que estavam meditando, tiramos os sapatos, desligamos os celulares e contemplamos a cerimônia silenciosamente por menos de 2 minutos, tempo suficiente para que eu ficasse deslumbrada com a qualidade e a quantidade de detalhes das pinturas do grande salão.
Foto 1 - Estupas; Foto 2 - Bandeiras de Oração; Foto 6 - Rodas de Orações.
As rodas de orações são cilindros preenchidos por rolos de papel nos quais milhões de mantras são impressos. Os budistas acreditam que quando uma roda é girada, os mantras contidos em seu interior são recitados simultaneamente, tendo suas bençãos levadas pelo vento que se encarrega de espalhar a paz e a harmonia pelo mundo.

As bandeiras de oração tem um significado parecido e em seu tecido também estão escritas orações que são irradiadas pelo vento.

As estupas são monumentos que representam a mente iluminada de Buda.

Artistas e lamas do Nepal e Butão vieram morar no Khadro Ling para decorar e abençoar o prédio durante sua construção.

A quantidade de detalhes é impressionante. Eu que adoro pinturas cheias de minúncias e fachadas cheias de recortes, fiquei encantada com esse templo: quanta paciência e dedicação!!!!

A construção de uma estrutura tão elaborada e incomum foi feita para inspirar aqueles que a vêem ou que se lembrem dela, e para ressaltar nossa própria riqueza de potencial interior.

A vista lá de cima  é sensacional e parece convidar o visitante à meditação. Na loja do centro budista, encontramos livros, incensos e objetos decorativos.

Acho que o passeio vale muito à pena e é mencionado em diversos guias turísticos, sendo uma das atrações mais visitadas na serra gaúcha atualmente. O endereço do centro budista é o seguinte: Linha Águas Brancas, 1211 Cx. Postal 121 CEP 95660-000 - Três Coroas - RS – Brasil. Telefone: (51) 3546-8201.

Para saber mais sobre a história do Khadro Ling e do budismo, além das indicações de como chegar ao local e os horários de visitação, basta acessar o seguinte link:


Programe-se! Beijo pra quem é de beijo e abraço pra quem é de abraço.

Xerinho, com muitas energias positivas, da Kê Amorim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário